quarta-feira, 8 de agosto de 2012

CÓDIGO IATA DAS PRINCIPAIS CIAS AÉREAS

Nesse post segue uma lista com os códigos IATAS das principais cias aéreas do mundo.

África

África do Sul: Nationwide Airlines (CE), South African Airways (SA)
Angola: TAAG Angola Airlines (DT), Sonair, Diogo Airways (DWA)
Botswana: Air Botswana (BP)
Cabo Verde: Inter Islands Airlines (H4), TACV Cabo Verde Airlines (VR),
Diogo Airways (DWC)
Camarões: Cameroon Airlines (UY)
Costa do Marfim: Air Ivoire (VU)
Egito: Air Cairo, Egypt Air (MS)
Eritreia: Eritrean Airlines (B8)
Etiópia: Ethiopian Airlines (ET)

Gana: Ghana International Airlines (G0)
Guiné-Bissau: Guine Bissau Airlines (G6)
Líbia: Libyan Arab Airlines (LN)
Madagascar: Air Madagascar (MD)
Marrocos: Royal Air Maroc (AT)
Maurícia: Air Mauritius (MK)
Moçambique: Air Corridor, LAM
Quênia: Kenya Airways (KQ)
Ruanda: Rwandair Express (WB)
Senegal: Air Senegal International (V7)
Seychelles: Air Seychelles (HM)
Sudão: Sudan Airways (SD)
Tanzânia: Air Tanzania (TC), Karibu Air, Precision Air (PW)
Tunísia: Nouvelair, Tunisair (TU)
Uganda: Eagle Aviation (H7)
Zimbabwe: Air Zimbabwe (UM)

América do Norte

Canadá: Air Canada (AC), Harmony Airways (HQ), Air Transat (TS)
Gronelândia: Air Greenland (GL)
Estados Unidos: Alaska Airlines (AS), American Airlines (AA), America West Airlines (HP), Continental Airlines (CO), Delta Airlines (DL), Jetblue (B6), North American Airlines (NA), Northwest Airlines (NW), Southwest Airlines (WN), United Airlines (UA), US Airways (US).
México: Aeroméxico (AM), Mexicana de Aviación (MX)

América Central e Caribe

Costa Rica: Lacsa (LR)
Cuba: Cubana de Aviación (CU)
El Salvador: TACA (TA)
Martinica: Air Caraïbes (TX)
Guatemala: Tikal Jets Airlines (WU)
Haiti: Tropical Airways (M7)
Honduras: AeroHonduras (4S)
Jamaica: Air Jamaica (JM)
Panamá: Copa Airlines (CM)
Ilhas Caymans: Cayman Airways (KX)
Trinidad e Tobago: BWIA West Indies Airways (BW)

América do Sul

Argentina: Aerolineas Argentinas (AA)
Brasil: Avianca Brasil (AV), Azul Linhas Aéreas (AD), Gol Transportes Aéreos (G3), Pantanal Linhas Aéreas (P8), Passaredo(Y8), TAM Linhas Aéreas (JJ),
TRIP Linhas Aereas (T4), WebJet Linhas Aéreas (WH)

Ásia

Afeganistão: Ariana Afghan Airlines (FG), KamAir, Pamir Air (NR)
Armênia: Air Armenia (QN), Air-Van Airlines, Armavia (U8), Armenian
International Airways (MV)
Azerbaijão: Azerbaijan Airlines (J2), Turan Air (3T)
Bahrein: Gulf Air (GF)
Bangladesh: Air Bangladesh (B9), Air Sylhet, Biman Air, GMG Air
Brunei: Royal Brunei (BI)
Butão: Druk Air (KB)
China: Air China (CA), China Southern Airlines (CZ),
Macau: Air Macau (NX)
Hong Kong: Air Hong Kong (LD), Cathay Pacific (CX), CR Airways (CR), Dragonair (KA), Hong Kong Express (UO)
Cingapura: Jetstar Asia, Silkair, Singapore Airlines (SQ), Tiger Air, Valuair (VF)
Coréia do Norte: Air Koryo (JS)
Coréia do Sul: Asiana Airlines (OZ), Korean Air (KE)
Emirados Árabes Unidos: Emirates Airlines (EK), Etihad Airways (EY)
Filipinas: Air Philippines (2P), Asian Spirit, Cebu Pacific (5J), Philippine
Airlines (PR), Tair Air
Índia: Air India (AI)
Irã: Iran Air (IR)
Iraque: Iraqi Airways (IA)
Israel: El Al Israel Airlines (LY), Israir (6H)
Japão: Air DO, All Nippon Airways (NH), JAL (JL)
Jordânia: Royal Jordanian Airlines (RJ)
Kuwait: Kuwait Airways (KU)
Líbano: Middle East Airlines (ME)
Malásia: Malaysia Airlines (MH)
Mongólia: Aero Mongolia (AM), MIAT Mongolian Airlines (OM)
Myanmar: Air Bagan (W9), Air Mandalay (6T), Myanmar Airways (8M)
Nepal: Air Nepal International (SZ), Royal Nepal Airlines (RA), Yeti Airlines (YA)
Omã: Oman Air (WY)
Paquistão: Aero Asia, Airblue (ED), Pakistan International Airlines (PK),
Qatar: Qatar Airways (QR)
Sri Lanka: Expo Aviation (8D), Lankair (IL), Mihin Lanka, SriLankan Airlines (UL)
Tadjiquistão: Tajikistan Airlines (7J)
Tailândia: One-Two-GO (OX), Phuket Air (9R), Thai Airways International (TG)
Taiwan: China Airlines (CI)
Turquia: Turkish Airlines (TK)
Vietname: Pacific Airlines (BL), Vietnam Airlines (VN)

Europa

Albânia: Albanian Airlines (LV), Albatros Airways (4H).
Alemanha: Air Berlin (AB), Augsburg Airways (IQ), Cirrus Airlines (C9),
Contact Air (KI), Eurowings (EW), Lufthansa (LH), Lufthansa CityLine (CL).
Áustria: Air Alps (A6), Austrian Airlines (OS), Austrian Arrows (VO), Lauda
Air (NG), LTU Austria (L3), Niki (HG), Welcome Air.
Bélgica: Brussels Airlines (SN), TNT Airways (3V)
Croácia: Croatia Airlines (OU)
Dinamarca: Scandinavian Airlines System (SK)
Espanha: Air Europa (UX), Iberia Airlines (IB), Spanair (JK), Vueling (VY), Clickair (XG), Futura Airways (FUA), Iberworld (TY), Binter Canárias (NT),
Aerolíneas de Baleares (DF)
Eslováquia: SkyEurope Airlines (NE)
Eslovênia: Adria Airways (JP)
Estônia: Estonian Air (OV)
Finlândia: Blue1 (KF), Finnair (AY)
França: Air France (AF),
Grécia: Aegean Airlines (A3), Helios Airways (ZU), Olympic Airlines (OA)
Holanda: KLM (KL), Transavia (HV)
Hungria: Malév (MA), Wizz Air (W6)
Irlanda: Aer Arann (RE), Aer Lingus (EI), Ryanair (FR)
Itália: Alitalia (AZ), Air Dolomiti (EN), Air One (AP), Volare Airlines (VA)
Letônia: AirBaltic (BT)
Montenegro: Montenegro Airlines (YN)
Portugal: Hi Fly (LK), TAP Portugal (TP), Portugália Airlines (NI), White Airways (WI), Aerocondor (2B), EuroAtlantic (MMZ)
Açores: Grupo SATA (S4)
Reino Unido: British Airways (BA), British Midland (BD), Easyjet Airlines (U2), Flybe (BE), Jet2.com (LS), Monarch Airlines (ZB), Virgin Atlantic Airways (VS)
República Tcheca: Czech Airlines (OK)
Romênia: Tarom (RO)
Rússia: Aeroflot (SU), Pulkovo Aviation Enterprise (FV)
Sérvia: Aviogenex (JJ), Jat Airways (JU)
Suíça: Easyjet Airlines Switzerland (DS), Swiss International Air Lines (LX), PrivatAir, FlyBaboo (F7)
Ucrânia: Ukraine International (PS)

Oceania e Pacífico

Austrália: Qantas Airways (QF)
Guam: Continental Micronesia (CO), Freedom Air (FP)
Predefinição: HAWb Havaí: Aloha Airlines (AQ), Hawaiian Airlines (HA), Island Air (WP)
Fiji: Air Fiji (PC), Air Pacific (FJ)
Ilhas Salomão: Solomon Airlines (IE)
Nova Zelândia: Air Nelson (PG), Air New Zealand (NZ), Eagle Airways
Ilhas Cook: Air Rarotonga (GZ)
Papua-Nova Guiné: Airlines of Papua New Guinea (CG), Air Niugini (PX)
Nova Caledónia: Air Caledonie (TY), Aircalin (SB)
Polinésia Francesa: Air Moorea, Air Tahiti (VT), Air Tahiti Nui (TN), Polynesian Airlines (PH)
Nauru: Air Nauru (ON)
Samoa: Polynesian Airlines (PH), Polynesian Blue (DJ)
Vanuatu: Air Vanuatu (NF), Vanair (X4)

Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

TURISMO NO ESPAÇO RURAL – ESTUDO DE CASO LAGES / SC

Este trabalho é fruto de uma constatação in loco, de pesquisas e de experiências vividas em trabalhos de consultoria e planejamento. Iniciamos nossa caminhada no turismo quando, em 1983 o então Prefeito do município de Lages - SC, o médico Dr. Paulo Alberto Duarte, assumia seu mandato, eleito para um período de 6 anos.

A entrada de Duarte para a política tinha como objetivo mudar todo um contexto econômico difícil que o município vivenciava. Idealista por vocação, Duarte formou seu Secretariado com as mais diferentes cabeças.
Pessoas que tinham, antes de tudo, vivenciado uma boa experiência profissional. Entre tantos privilegiados, eu fui um deles, privilegiado porque nosso então líder é uma pessoa extremamente entusiasta e adepta a grandes desafios.
A vivência profissional, que na época eu detinha como Analista de Projetos na Secretaria da Fazenda do Estado de SC, num excepcional programa de Desenvolvimento Industrial (PROCAPE), proporcionara-me certa facilidade na identificação das potencialidades que o município detinha. Entre tantas outras potencialidades existentes, identificamos algumas, que tiveram como consequência o primeiro produto turístico do município, o "TURISMO RURAL".
Lages é detentora de posição geográfica privilegiada, localizada às margens do entroncamento das BR's 116 e 282, recebendo diariamente em suas portas um expressivo fluxo rodoviário.
Deste, um grande percentual é o denominado turismo rodoviário (ônibus), mas que usavam o município apenas como ponto de parada para um café, uma refeição e, eventualmente, um pernoite; uma vez que, originários de Curitiba (PR) tinham como destino às serras gaúchas, Gramado e Canela, e Lages está equidistante a estes dois pontos.
Tínhamos o que todos buscavam o fluxo turístico, mas não tínhamos o produto turístico a ser ofertado. Foi então que, em 1984, foi criada a Comissão Municipal de Turismo, formada por segmentos representativos da comunidade (Sindicato dos Hotéis, CDL, clubes de serviços, etc.) e que tinha como objetivo aproveitar o potencial existente para alavancar a economia do município.
Após diversas reuniões do grupo sem uma solução clara de como devíamos proceder para a viabilização de nossos anseios, propusemos a realização de uma pesquisa junto aos turistas que por lá passavam, objetivando identificar quais as razões que os motivavam a viajar por esta região.
Para a surpresa do grupo, que achávamos não ter grande potencial turístico, descobrimos que cerca de 85% das razões que os entrevistados citavam como forças que os motivavam a visitar aquela região, estavam presentes em nossa cidade. Entre outras, foram citadas a hospitalidade, o clima frio, a gastronomia diversificada, a paisagem a diversificação cultural, a segurança, o ar puro, etc. Mas como transformar estes insumos em produto turístico?
Novamente a discussão na comissão, e agora extremamente eufóricos com o resultado da pesquisa, mas angustiados por não encontrarmos uma fórmula para viabilizarmos nosso produto. 
Certo final de semana, convidado para um almoço numa propriedade rural tive um estalo: aqui está nosso produto turístico, pois via naquele instante, todos os itens da pesquisa associados naquele ambiente.
ntusiasmado com a solução, reunimos o grupo, e apresentei a proposta do turismo rural (na época "um dia no campo"). Alguns mais entusiastas aderiram a ideia, outros acharam a ideia ridícula, com colocações pejorativas do tipo "Alemão, você pirou. Então você acha que paulista vai sair da cidade grande para pisar em bosta de boi" - (riso geral). Confesso que por um momento balancei, mas as pesquisas me auxiliaram e com elas formulei minha proposta.
Gente a favor, gente contra e gente "em cima do muro". Qual a saída? Foi então que sugeri uma experiência com um grupo para tirarmos as dúvidas, com o que todos prontamente concordaram.
Vem então o segundo grande drama: achar o fazendeiro "maluco" que acreditasse na nossa proposta, mas felizmente da comissão fazia parte o então vereador Julio Cezar Ramos, proprietário da Fazenda Pedras Brancas, que se propôs a fazer o teste.
Contatamos uma empresa que operava seus pacotes turísticos na região e propusemos oferecer sem custos, um almoço na fazenda, para então pesquisarmos suas impressões.
Com a data da visita programada, reunimo-nos (Julio Cezar e Sonia da fazenda Pedras Brancas, Vilson Urbano, do MAP Hotel, Adonis e Lilian) para formulação da programação de atividades de lazer (ordenha, passeios a cavalo e show folclórico gaúcho) e um cardápio típico da serra catarinense.
São Pedro foi nosso parceiro e nos brindou com um dia de outono com um fantástico céu azul, e sob um frondoso carvalho, embalados pelos acordes da sanfona e do violão, os turistas desfrutaram de um excepcional almoço.
Não deu outra, nas pesquisas realizadas, 96% dos participantes indicaram esta como a melhor programação do pacote. A partir daí, tínhamos descoberto nosso "ovo de Colombo" o produto turístico, TURISMO RURAL.
Após 16 anos da implantação da primeira propriedade de turismo rural no município de Lages, hoje denominada de "Capital Nacional do Turismo Rural" - modelo recomendado pela EMBRATUR, estamos convencidos da viabilidade e da metodologia de nossa proposta.
Resultou-se também em um livro, que está organizado em 11 capítulos. Na introdução apresenta-se um panorama geral sobre o esforço que se está realizando para que o turismo neste país seja realmente uma grande atividade econômica. 
Os dois primeiros capítulos enfocam a importância do turismo para o município e de que forma você pode criar seu produto turístico. As demais partes descrevem todas as particularidades que estes dezessete anos de vivência no turismo rural nos mostrou.
As informações contidas neste documento são baseadas nos resultados do projeto pioneiro de turismo Rural no Brasil, implantando no Município de Lages-SC, viagens ao Mercosul, Europa e experiências nos projetos que implantamos por todo país desde 1986.
Vale ressaltar que as atividades de turismo rural em outros países, notadamente na Espanha, Portugal e França, não podem ser comparadas ao que o Brasil tem para oferecer. Quer pela geomorfologia, cultura ou conceito de rural.
Os múltiplos insumos e fatores que compõe os diferentes cenários rurais do país o tornam ímpar e versátil. É esta vivência que colocaremos nas páginas e capítulos que se seguem sobre o assunto e que, nem de longe se esgotará. 
Descobrimos a cada nova propriedade rural novos componentes para a criação do produto turístico, criando-se inclusive uma serie de tipologias derivadas do turismo rural.
A diversidade cultural do anfitrião, a dinâmica da produção rural no país e a riqueza dos recursos naturais que integram o espaço rural brasileiro é que fazem do turismo rural no Brasil um modelo próprio. 
Assim, podemos dizer que, "O turismo rural no Brasil é como um mosaico, cuja expressão cênica está diretamente ligada aos insumos e recursos disponíveis, a sensibilidade e a criatividade de quem o implementa".
*Adonis Zimmermann, disponível em Disponível em
Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CÓDIGO IATA DOS PRINCIPAIS AEROPORTOS BRASILEIROS

Nesse post segue uma uma lista com os códigos IATA dos principais aeroportos do Brasil.
Região Centro-Oeste

Distrito Federal: Brasília BSB
Goiás: Goiânia GYN

Mato Grosso: Cuiabá CGB
Mato Grosso do Sul: Campo Grande CGR / Corumbá CMG / Dourados DOU / Ponta Porã PMG

Região Norte

Acre: Cruzeiro do Sul CZS / Rio Branco RBR
Amapá: Macapá MCP
Amazonas: Manaus MAO / Parintins PIN / Tabatinga TBT / Tefé TFF
Pará: Altamira ATM / Belém BEL / Carajás CKS / Marabá MAB / Santarém STM
Rondônia: Porto Velho PVH / Ji Paraná JPR
Roraima: Boa Vista BVB
Tocantins: Araguaína AUX / Palmas PMW
Região Nordeste

Alagoas: Maceió MCZ
Bahia: Ilhéus IOS / Paulo Afonso PAV / Porto Seguro BPS / Salvador SSA
Ceará: Fortaleza FOR / Juazeiro do Norte JDO
Maranhão: Imperatriz IMP / São Luís SLZ
Paraíba: Campina Grande CPV / João Pessoa JPA
Pernambuco: Caruaru CAU / Fernando de Noronha FEN / Petrolina PNZ / Recife
REC
Piauí: Parnaíba PHB / Teresina THE
Rio Grande do Norte: Mossoró MVF / Natal NAT
Sergipe: Aracaju AJU

Região Sudeste

Espírito Santo: Vitória VIX
Minas Gerais: Confins CNF / Juiz de Fora JDF / Montes Claros MOC / Pampulha
PLU / Poços de Caldas POO / Uberlândia UDI / Uberaba URA / Zona da Mata IZA
Rio de Janeiro: Campos dos Goytacazes CAW / Galeão GIG / Macaé MEA / Santos
Dumont SDU

São Paulo: Araraquara AQA / Bauru JTC / Campo de Marte MAE / Congonhas CGH /
Guarulhos GRU / Presidente Prudente PPB / Ribeirão Preto RAO / São José do
Rio Preto SJP / São José dos Campos SJK / Sorocaba SOD / Ubatuba UBT /
Viracopos VCP

Região Sul

Paraná: Curitiba CWB / Foz do Iguaçu IGU / Umuarama UMU / Londrina LDB /
Maringá MGF / Cascavel CAC
Rio Grande do Sul: Bagé BGX / Caxias do Sul CXJ / Porto Alegre POA /
Uruguaiana URG

Santa Catarina: Chapecó XAP / Criciúma CCM / Florianópolis FLN / Joinville
JOI / Navegantes NVT

Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL OU SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS

Desenvolvimento Sustentável ou Sociedade Sustentáveis: Da Crítica dos Modelos aos novos paradigmas.  
Uma das condições fundamentais do desenvolvimento sustentável é a conservação dos ecossistemas e dos recursos naturais.  
Deve-se prever em primeiro lugar a manutenção dos processos ecológicos fundamentais dos quais depende a sobrevivência humana, tais como a fotossíntese, os ciclos hidrológicos e a reciclagem de nutrientes.
A perturbação em alto grau desses processos colocaria em risco a vida humana. Outra condição é a preservação das diversidades genéticas e biológicas.

Essa diversidade vem sendo ameaçada principalmente pela ação humana, na forma de poluição e degradação ambiental, de devastação florestal e de homogeneização da base genética. Vem sendo enfatizada recentemente a relação entre a manutenção da diversidade biológica e diversidade cultural.

Estudos tem demonstrado que as populações tradicionais, pescadores e etnias indígenas por exemplo, são grandes responsáveis pela manutenção da diversidade biológica da qual dependem para sua sobrevivência. 
No caso dos países em desenvolvimento, frequentemente ecossistemas naturais foram conservados em grande parte por populações tradicionais que possuem fortes vínculos culturais com esses ambientes, desenvolvendo sistemas engenhosos de manejo dos recursos naturais (op cit. DIEGUES. 1995).
Um dos aspectos mais relevantes da argumentação por trás do conceito de desenvolvimento sustentável é o da necessidade de uma nova ética, de um novo paradigma. 
Ë preciso o abandono da perspectiva antropocêntrica para uma perspectiva mais global, biocêntrica. 
DIEGUES, Antonio Carlos Sant’Ana. Ecologia Humana e planejamento em áreas costeiras. São Paulo: NUPAUB-USP. 1996.
Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

AS OLIMPÍADAS DA ANTIGUIDADE - 2º PARTE

Espetáculos, violência e mitos dominaram as Olimpíadas antigas por mais de 1.000 anos, no evento que celebrava a paixão grega pelo esporte competitivo 

Polêmicas e dramas descritos por poetas e dramaturgos abundavam durante a competição ininterrupta, começando em 776 a.C., quando Corobeu correu nu em Olímpia.
O relato mais antigo de esporte grego aparece na Ilíada, de Homero. Aquiles organizou uma série de eventos, incluindo corridas de cavalo, a pé, boxe e luta livre para acompanhar os rituais funerais de Patroclus, morto por Hector diante dos portões de Tróia.Olímpia, santuário para Zeus no distrito de Elis, a sudoeste de Atenas, era um dos muitos lugares destinados a festivais religiosos. O estádio ficava perto do templo de Zeus, onde a estátua de ouro e marfim do principal deus do panteão grego, esculpida por Pheidias, era uma das sete maravilhas do mundo antigo.

De acordo com a lenda, Hércules, o maior herói mítico, filho de Zeus, instituiu os primeiros Jogos Olímpicos para celebrar o sucesso de um de seus 12 trabalhos, a limpeza dos estábulos do rei Augias, de Elis.Corobeus foi o primeiro campeão da única prova dos primeiros Jogos registrados. Ele ganhou a corrida de 192,27 metros.O imperador romano Nero foi o campeão mais notório, ao organizar Jogos especiais no ano 67 a.C., com corridas de 10 bigas e uma competição musical. Ele venceu todos os eventos de que participou, é claro.

Depois de 776 foram agregados novos eventos aos cinco dias de Jogos, que devotavam grade parte do programa a cerimônias religiosas.O primeiro dia era dedicado exclusivamente a uma cerimônia. A manhã do terceiro dia culminava com o sacrifício de 100 bois no grande altar de Zeus. Relatos da época contam sobre a confusão e o colorido em Olímpia, para onde se dirigiam apostadores, músicos, dançarinos, prostitutas e vendedores de flores de locais tão longínquos como Líbia e Egito.Alguns dos grandes filósofos e escritores peregrinavam para Olímpia. Vencer era tudo. Os vencedores ganhavam uma coroa de oliva cortada com uma faca dourada sagrada. Os perdedores não levavam nada. Os competidores rezavam pela vitória, ou pela morte.
A corrida de bigas com quatro cavalos dava início ao programa, seguida pela corrida de cavalos. Como só os ricos podiam ter cavalos, a coroa do vencedor ia para o dono.As corridas com animais davam o espetáculo. Já o boxe e a luta livre, além de uma brutal combinação dos dois chamada pankration, eram violentas.Os pugilistas, que usavam correias de couro nas mãos, lutavam sem parar até que um fosse nocauteado ou desistisse. No pankration e somente mordidas e golpes nos olhos, nariz e boca eram proibidos.Os competidores, que chegavam um mês antes de todas as regiões da Grécia, juravam por Zeus que obedeceriam às leis.
Os eventos de atletismo, especialmente o pentatlo, com lançamento de disco, dardo, salto, corrida e luta, também já estavam no programa.Esparta, a cidade-Estado militar com rigoroso treinamento físico, dominava as provas de corrida, produzindo metade dos vencedores até 800 a.C.Protegidos pela trégua olímpica, que não parava as guerras mas impedia que elas interrompessem as competições, os Jogos antigos duraram até o ano 393 d.C., quando a divisão entre paganismo e cristianismo era tão grande que o imperador Thodosius I ordenou o fechamento de todos os centros e cultos pagãos.
O único evento equivalente às Olimpíadas antigas foram os Jogos Tailteann, na Irlanda, que tinha salto em altura e com vara, lançamento de peso e dardo e começaram no ano 829 a.C. e seguiram até o século 14.
Os Jogos antigos deram a inspiração para os Jogos modernos, em Atenas, a partir de 1896. Ao contrário de sua antecessora, a Olimpíada moderna foi interrompida duas vezes por guerras mundiais em meio século.
*Por John Mehaffey
Um abraço e até o próximo post!



Continue lendo >>

sexta-feira, 13 de abril de 2012

OS MELHORES LOCAIS DE MERGULHO NO BRASIL

Nesse post iremos trazer os cinco melhores pontos para a pratica do mergulho.

Abrolhos – Caravelas (BA)

ABROLHOS

Angra dos Reis (RJ)

ANGRA

Arraial do Cabo (RJ)

Batismo de mergulho Arraial do Cabo

Bombinhas (SC)

bombinhas-mergulho-1

Fernando de Noronha (PE)

noronha09-big

Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

PRAIAS PARA APLAUDIR O PÔR DO SOL

Nesse post segue as 5 praias brasileiras onde o por do sol é simplesmente de tirar o folego.

Ipanema (RJ)

IPANEMA

Quatro Ilhas, Bombinhas (SC)


quatro ilhas

Morro de São Paulo (BA)

morro de são paulo

Galinhos (RN)

galonhos

Jericoacoara (CE)

jericoacoara 
A sua praia ficou fora da lista? Deixe sua opinião nos comentários.
Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

O MUNDO E SEUS SUPERLATIVOS

Neste post vamos conhecer algumas paisagens que se destacam, pela sua grandiosidade e beleza:

A maior cordilheira

Cordilheira dos Andes, na América do Sul, com 8 mil quilômetros.

CORDILHEIRA DOS ANDES

A maior ilha

Groenlândia, com 2.175.600 km2.

groenlandia

A montanha mais alta

Mauna Kea, no Havaí , tem 10.203 metros a partir do fundo do oceano Pacífico. Se for considerado apenas o pedaço que fica acima do nível do mar, a montanha conta com 4.205 metros.

Mauna Kea

A principal queda d’água

Angel, na Venezuela, com 979 metros de altura.

ANGEL

O lago mais alto

O mais alto lago navegável é o Titicaca, no Peru, 3.811 metros acima do nível do mar.

Lake_Titicaca_01

O lago mais profundo

Lago Baikal, Rússia, com 1.620 metros.

LAGO BAIKAL

O maior golfo

Golfo do México, com 1.502.200 km2.

O maior lago

Mar Cáspio, entre Rússia e Irã, 372.000 km2 e 980 metros de profundidade.

O maior rio em extensão

Amazonas, com 7.025 quilômetros.

caminho_do_rio_amazonas-6730-para-facebook-orkut

O maior vulcão

Gallatiri, Chile, com 6.060 metros.

chile

O oceano mais profundo

Oceano Pacífico, com uma profundidade média de 4.267 metros.

O ponto mais alto

Monte Everest, no Himalaia, fronteira entre Nepal e Tibete, 8.850 metros acima do nível do mar.

EVEREST

O ponto mais baixo

Mar Morto, entre Israel e Jordânia. A superfície da água está 396 metros abaixo do nível do mar.

mar-morto

O ponto mais chuvoso

Monte Waialeale, no Havaí, com uma média anual de 11.680 mm.

X-waialeale1001

O ponto mais frio

Estação de Vostok, na Antártida, -89,2ºC (21/07/1983).

lake_vostok-02

O ponto mais quente

El Azizia, Lábia, 58ºC (registrado no dia 13/09/1922).

el-azizia

O ponto mais seco

Deserto de Atacama, no Chile, sem chuvas do ano de 400 a 1971.

BXK17007_deserto-de-atacama-_cordilheira-andina-_norte-do-chile_-agosto-2004-_p.pd13820800

Um abraço e até o próximo post!

Continue lendo >>

  ©TURISMO CRIATIVO - Todos os direitos reservados.